• Instituto Periférico

Ações reflexivas e espetáculos marcam a sexta-feira do FIT-BH

Atualizado: 14 de Out de 2018

Na sexta-feira, 22 de setembro, o CENABELOHORIZONTE teve rodada de negócios na parte da manhã reunindo 30 grupos de Belo Horizonte e 20 produtores de diversos locais do país.

À tarde, duas mesas foram compostas: “Impactos e Indicadores dos Festivais de Artes Cênicas”, com participação da Prof. Luciana Leite Lima (UFRGS), da Prof. Ana Flavia Machado (UFMG) e de Paulo Victor Feitosa (CE). Luciana abriu a discussão analisando a pesquisa recente realizada pela UFRGS sobre os festivais de teatro no Brasil. A pesquisa contou com a colaboração da Rede Brasileira de Festivais de Teatro e do Observatório dos Festivais, uma articulação de aproximadamente 45 festivais de teatro do Brasil que se juntaram para lutar por políticas públicas e ações de colaboração entre festivais. “Eventos de Negócios de Artes Cênicas”, com a participação de Alexandre Vargas (RS), Cynthia Margareth (SP) e Maria Marighella (BA). Representando a Rede Brasileira de Festivais de Teatro, os programadores convidados apresentaram e abriram a discussão sobre como funcionam os principais eventos de negócios destinados às artes cênicas no Brasil.

No Teatro de Bolso do MUMO, aconteceu o “Intercâmbio Comunidades Teatrais” com mediação de Nil César. Os grupos Zap 18, Teatro Negro e Atitude e Cia Candongas expuseram, através do compartilhamento de suas experiências, modos de atuação em suas comunidades e como se dão os processos de formação de público.

Nos palcos, duas atrações internacionais fizeram suas primeiras apresentações. “Libertação” de Andre Amalio e Hotel Europa foi encenado no Teatro Raul Belém Machado. O espetáculo fala sobre o processo de independência das colônias portuguesas na África e sobre a dificuldade de se reconhecer, em Portugal, os crimes cometidos contra as populações locais. “Libertação” faz a sua segunda e última apresentação hoje, às 17h, novamente no Teatro Raul Belém Machado.

Misturando dança, música e encenação, “Unwanted” confirmou a expectativa de um espetáculo intenso no Teatro do Minas Tênis Clube. Os relatos de estupros cometidos como arma de guerra no massacre dos tutsis em Ruanda na década de 90 comoveram o público, que saiu tocado da apresentação. Hoje, Munyaneza, que já ministrou uma oficina neste FIT-BH 2018, se despede do Festival com mais uma apresentação do lindíssimo e imperdível “Unwanted” no Teatro do Minas Tênis Clube às 21h.

“Fuck Her”, a provocativa performance de Ludmila Ramalho, se apresentou no Museu Mineiro às 19h. O corpo da performer, nu e estendido no chão, foi coberto de ração e quarenta pintinhos o percorreram bicando para se alimentar. Em tradução livre, “fuck her” significa “foda-a” ou “coma ela”, expressão de conotação sexual com aspecto de violência. A fúria do termo inglês, no entanto, é desarticulada pelo jogo com o termo “pinto”, que designa, em português, tanto o falo masculino quanto o singelo filhote da galinha, que descobrimos ser o verdadeiro agente do consumo do corpo feminino.

A Companhia Vórtica de Teatro fez a primeira apresentação de “Rua das Camélias” no Hotel São Cristóvão. O espetáculo é resultado de uma extensa pesquisa sobre o meretrício da cidade e convida o público a percorrer um hotel de “alta rotatividade”, revelando um pouco da vida que existe atrás do mito. “Rua das Camélias” se apresenta novamente hoje, mas os ingressos já estão esgotados.

Na E.M. Poeint Barreiro, o grupo Lamira Artes Cênicas de Tocantins apresentou “Do Repente” para um público bastante heterogêneo, que uniu pessoas de diferentes gerações em um lindo espaço gramado e arborizado. O espetáculo é bastante engraçado, musical e envolvente, e será apresentado hoje, 22 de setembro, no CRAS Mariano de Abreu às 10h e no Centro de Referência da Pessoa Idosa às 18h30. Amanhã, 23 de setembro, o grupo faz sua última apresentação na Paróquia Cristo Luz dos Povos – Cabana Pai Tomás, às 18h.

Jo Clifford despediu-se do FIT-BH com a última apresentação de “Eve”, que mais uma vez lotou o Teatro Marília.

Integraram também a programação desta sexta a roda de conversa “Poéticas do Luto” com Nina Caetano e o “Intercâmbio X Varejão – Varieté Artístico de Risco Eclético Jocoso Anárquico e Onírico”, o cabaré mais anárquico, dissidente e precário das alterosas, que conduziu o público para a zona leste e se entrou madrugada adentro com onze cenas curtas e pista de dança no Espaço 171.

No Ponto de Encontro, a noite de música brasileira colocou o público para dançar com os shows de Leo Richard e Maíra Baldaia, e depois com o Dj Vinni, que relembrou o Carnaval e gerou um misto de nostalgia e expectativa para a folia do ano que vem. Hoje, 22 de setembro, o palco do Ponto de Encontro terá a aulão de vogue performance “Dengue” (19h20) e a performance “TransRuba : Coroação da Nossa Senhora das Travestis – Uma Suruba Literária” com a Academia TransLiterária (22h). O Espaço Sobre Vivências receberá, às 18h30, o lançamento da edição especial de bolso do livro “Generalidades ou Passarinho Loque Esse”, e bate-papo com o autor, João Maria.

Foto: Denilson Cardoso

18 visualizações