VERBO GENTILEZA - UM LAMBE POR DIA

Corredor interno da Estação Central do Metrô | Praça da Estação - Centro | 16/10 e 17/10 - 24h

A intervenção urbana “Um Lambe Por Dia”, do artista Leonardo Beltrão, apresenta trechos da letra da música “Revolução Gentil”, manifesto cantado do Festival Verbo Gentileza 2021. Também são apresentadas pílulas da programação que estão em diálogo com indicadores brasileiros para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), pensadas a partir das reflexões propostas pelo festival. Os lambes serão colados em um painel, no corredor interno da Estação Central, e estarão em exposição aberta ao público durante a Virada Cultural de Belo Horizonte 2021.

 

VERBO GENTILEZA - BANDEIRAS DA REVOLUÇÃO

Museu da Moda | Rua da Bahia, 1149 - Centro | 16/10 e 17/10 - 24h

A exposição “Bandeiras da Revolução” reúne, na fachada do Museu da Moda de Belo Horizonte, criações dos artistas Aislan Pankaru, Dias Brasil, Efe Godoy e Lavi Israel, todos oriundos de diferentes grupos representativos da sociedade. As bandeiras foram desenvolvidas a partir de uma oficina virtual de mesmo nome da exposição, ministrada pela também artista Marjorie Yamagutti. Além das quatro bandeiras desenvolvidas pelos artistas, a mostra ainda conta com outras duas criadas pelo Festival Verbo Gentileza 2021. A exposição estreia em 16 de outubro, na programação da 6ª edição da Virada Cultural de Belo Horizonte.

 

PIERRE FONSECA - SINFONIA

Conjunto IAPI (mina d’água atrás do edifício 9)| Praça Professor Corrêa Neto, 43 - São Cristóvão | 16/10 e 17/10 - 24h

A partir da intervenção urbana “Sinfonia”, o artista visual de Araçuaí (MG) Pierre Fonseca apresenta um painel interativo que explora o uso da tecnologia QR Code e os muros da capital mineira para criar uma conexão das pessoas com o canto dos pássaros líricos. Qualquer pessoa que passe pelos muros internos do conjunto habitacional IAPI poderá usar seu celular para escutar os sons dos pássaros indicados no painel e, ainda, conhecer uma nascente de água que fica ao lado da obra.

 

PIGMALIÃO ESCULTURA QUE MEXE - O GIGANTE DUDRIN

Viaduto Santa Tereza | Centro | 16/10 – 17h/10 - 24h

Os arcos do Viaduto Santa Tereza recebem “O Gigante Dudrin”, uma marionete articulada de 5 metros de altura e 37 kg. Seu corpo é dividido em 15 peças, com movimento de olhos, pálpebras e boca e seus cabelos e barba são uma mescla de pelos sintéticos e naturais. A instalação urbana traz para a centralidade da cena a homenagem a Dudrin, um senhor em situação de rua visto constantemente na avenida Aarão Reis. Os relatos descreviam Dudrin como um sábio das ruas, um conselheiro e cuidador dos outros que ali também estavam. A marionete foi construída durante uma oficina ministrada pelo Pigmalião Escultura que Mexe, em parceria com o Grupo Espanca, e os alunos foram convidados a eleger uma pessoa cuja presença era significativa e influente na cidade de Belo Horizonte, mas que era invisibilizada socialmente. Dessa forma, o gigante dá visibilidade a um “herói invisível”.

 

LUÍSA GANZAROLLI E PATRÍCIA CIOFFI - ESTÚDIO LUPA - PROJETO SAUDADE

Edifício Araguaia | Avenida Augusto de Lima, 143 - Centro | 16/10, entre 19h e 22h, de maneira alternada com outras projeções

Afinal, do que você tem saudade? A pergunta move o “Projeto Saudade”, intervenção criada pelas artistas Luísa Ganzarolli e Patrícia Cioffi a partir das mudanças vivenciadas no espaço urbano com o distanciamento imposto pela pandemia da Covid-19. A experiência provocada pela distância e pelo isolamento criou diversas formas de manifestação da saudade, especialmente de atividades cotidianas. O projeto parte da visibilidade do saudosismo das vivências rotineiras e busca uma relação de identificação com as pessoas por meio de projeções.

 

LUIZA KOT - IMAGINAVES

Edifício Central | Av. dos Andradas, 367 - Centro | 16/10 - 19h

A artista visual, fotógrafa e designer Luiza Kot apresenta o projeto “Imaginaves”, no qual realizará projeções a partir do Edifício Central em direção às construções na avenida dos Andradas e rua Aarão Reis, na região central de Belo Horizonte (MG). O objetivo é dar mais vida e ocupar de forma artística os espaços urbanos, buscando atuação conjunta com a arte urbana preexistente, além de criar certo desequilíbrio e tensão entre os elementos da natureza e da urbanidade.

 

DIEGO GAMARRA - CONEXÃO BUENOS HORIZONTES COM BELOS AIRES

Circuito pelo Centro de Belo Horizonte, como Viaduto Santa Tereza, rua Sapucaí e Praça da Estação  | 19h

Palhaço Cloro, protagonizado pelo argentino Diego Gamarra, dança nos ares um tango enquanto percorre espaços icônicos do hipercentro de Belo Horizonte (MG), utilizando malabares, monociclo e outros recursos circenses, com a música “Pompeia” ao fundo, estabelecendo uma conexão entre música, arte de rua e espaços turísticos. Durante a Virada Cultural de Belo Horizonte 2021, o Palhaço Cloro passará por pontos como Praça da Estação, Viaduto Santa Tereza e Rua Sapucaí.

 

FESTIVAL MINEIRO DE POLE DANCE - EDIÇÃO EMPENA

Edifício Araguaia | Avenida Augusto de Lima, 143 - Centro | 16/10, entre 19h e 22h, de maneira alternada com outras projeções

Em 2021, o Festival Mineiro de Pole Dance – Edição Empena vai ocupar a cidade com performances projetadas em prédios da região central de Belo Horizonte (MG). Em sua quarta edição, o principal festival de pole do país contará com apresentações de grandes pole dancers de todo o Brasil, com os múltiplos estilos e contornos do pole dance contemporâneo.

 

CAMALEÃO GRUPO DE DANÇA - VEIAS ABERTAS

Edifício Araguaia | Avenida Augusto de Lima, 143 - Centro | 16/10, entre 19h e 22h, de maneira alternada com outras projeções

 “Veias Abertas” é uma videodança que trata da energia vital que move o mundo, a partir de uma dança que percorre as águas, a terra, as comunidades ribeirinhas e sua história. A performance é realizada pelo Camaleão Grupo de Dança, que foi fundado em 1984 pela diretora Marjorie Quast. Além de realizar expedições pelas cidades ribeirinhas e se relacionar com o rio e com essas comunidades, a obra fala da importância de sua preservação, tendo como foco o Rio das Velhas, principal abastecedor de água da região metropolitana de Belo Horizonte (MG).

 

ALINEX - CACHOEIRA

Av. Afonso Pena, 342 - Centro |16/10, entre 19h e 22h, de maneira alternada com outras projeções

A obra de Aline Xavier Mineiro (VJ Alinex) se volta à memória das primeiras pinturas de fachada de Belo Horizonte. Os murais pintados por Hugues Desmaziéres e Douglas Melo surgiram na década de 1990 nas laterais cegas de mais de 10 prédios do centro da cidade. Na projeção de vídeo, registros históricos dos murais se misturam à recriação de suas pinturas. Tratam-se de imagens surrealistas, que propõem jogos de perspectiva e ilusões de ótica, além de temas como a oposição entre homem e natureza. Ao recuperar esta fortuna artística, a artista espera provocar atenção pública sobre a importância da preservação desta história, incluindo a restauração dos murais que ainda resistem no horizonte.

 

1MPAR - PELO VIDRO

Edifício Araguaia | Avenida Augusto de Lima, 143 - Centro | 16/10, entre 19h e 22h, de maneira alternada com outras projeções

Neste momento de pandemia, o vidro se tornou a principal interface de contato entre o mundo recluso e o que ocorre lá fora. Nesta projeção mapeada, é criado um diálogo entre o dentro e o fora, colocando esta interface transparente como um ponto "entre", onde identifica-se o interior e o exterior ao mesmo tempo. A partir desta fina película que separa os indivíduos, surgem todos os tipos de imagem, criando interações imaginárias, alternando sonhos delirantes e amargos pesadelos.

  

HOMEM GAIOLA & VJ ELETROIMAN - SOMOS NATUREZA

Edifício Acaiaca | Av. Afonso Pena, 867 - Centro | 19h

“Somos natureza” é uma proposta que desenvolve o conceito de sabedoria e espírito das plantas. É uma viagem visual que busca evidenciar a importância da natureza, por meio de personagens e símbolos que misturam o elemento humano com a planta, evidenciando a relação de respeito e interdependência que existe entre ambos. O público estará imerso em uma experiência perceptiva, na qual as superfícies do edifício Acaiaca ganham vida com a projeção do mapping.

 

SARA LANA - ESPÉCIES DE ESPAÇOS

Edifício Londres | Av. Amazonas, 311 - Centro | 16/10, entre 19h e 22h, de maneira alternada com outras projeções

Espécies de Espaços é uma série que parte da apropriação de imagens capturadas por câmeras de vigilância. Neste trabalho, são apresentados vídeos de câmeras que tiveram seus registros inviabilizados graças às aranhas que tramaram teias na frente desses aparatos, tornando-se importantes agentes de contra-vigilância.

 

O SOMOS - MIXTAPE O SOMOS

Av. Afonso Pena, 342 - Centro | 16/10, entre 19h e 22h, de maneira alternada com outras projeções

“Mixtape” é uma compilação de trabalhos de videodança desenvolvidos pelo coletivo de dança “O Somos” ao longo de sua trajetória em Belo Horizonte (MG) e apresenta sua história com dança, design e tecnologia. O acervo de videodança será exibido, com projeção, em prédios da capital.

 

GRUPO OFICCINA MULTIMÉDIA - GOM 45 ANOS - PAINEL DE IMAGENS

Edifício Londres - Av. Amazonas, 311 | 16/10, entre 19h e 22h, de maneira alternada com outras projeções

O Grupo Oficcina Multimédia participa da Virada Cultural de Belo Horizonte 2021 com a projeção de um painel de imagens diversificadas que foram projetadas em seus espetáculos e eventos. As imagens selecionadas integram a linguagem multimeios do grupo e serão projetadas em grande escala na parede de um prédio situado no hipercentro da capital mineira. A exibição dá início às celebrações dos 45 anos de criação do Grupo Oficcina Multimédia.

 

FERNANDA RODRIGUES - NOVO OLHAR PERIFÉRICO

Edifício Londres | Av. Amazonas, 311 - Centro | 16/10, entre 19h e 22h, de maneira alternada com outras projeções

A exposição “Novo Olhar Periférico” apresenta colagens digitais que colocam as comunidades periféricas na centralidade das obras e das reflexões sobre a afirmação da identidade negra. Todas as simbologias presentes nas obras estão pautadas na ancestralidade, valorizando a identidade social dos moradores.

 

ED MARTE CIRCULAR

Praça Floriano Peixoto e, depois, avenida do Contorno (sentido Floresta) até retornar à praça | 10h

Ed Marte propõe uma volta completa pela avenida do Contorno, de bicicleta, saindo da praça Floriano Peixoto, sentido Floresta, até retornar à praça. Artista visual, trabalha com performance e intervenção urbana promovendo um deslocamento alegre e afirmativo com sua bicicleta. Utilizando uma caixa de som em uma carretinha, Ed Marte apresenta uma playlist de artistas contemporâneos LGBTQIA+ que expressam, por meio das canções, as lutas e resistências de corpos diversos desobedientes das normas de gêneros.

 

COMUM -  MURAL “OGUM DE QUEBRADA”

Estação Central do Metrô | Praça da Estação - Centro | 17/10 - 8h

O artista urbano Comum atua nas ruas de Belo Horizonte desde 2004 e desenvolve trabalhos em diferentes modalidades da arte urbana e das artes plásticas como o graffiti, o stencil, o lambe-lambe, a gravura, os livros de artista e a performance. Na Virada Cultural de Belo Horizonte 2021, Comum apresenta o mural “Ogum de Quebrada”, realizado em colaboração com o fotógrafo André Cavalheiro. O trabalho propõe um grito das periferias de Belo Horizonte (MG) para o centro da cidade.

 

JOJÔ & JHÊ - A MAIOR DAS MARAVILHAS

Estação Lagoinha do Metrô | 17/10 - 6h

Jojô Hissa é artista visual, e Jhê é multiartista. Nesta edição da Virada Cultural, elas propõem a intervenção urbana “A maior das maravilhas”, na qual reutilizam imagens de revistas e outros recortes analógicos ampliados para compor um mural inspirado na canção “Saudade dos Aviões da Panair”, escrita em 1974, por Milton Nascimento e Fernando Brant. “A maior das maravilhas” é uma intervenção urbana que dialoga com a canção e explora uma nova possibilidade: a de “ouvir” música com os olhos.

 

BH FIXED - ALLEYCAT: OCUPA BH SOBRE DUAS RODAS

A “Alleycat: Ocupa BH sobre rodas” é inspirada nas “Alleycats”, que são provas de bike fixa que passam por pontos escolhidos da cidade. A diferença central entre uma bike fixa e as demais é a catraca, que gira em conjunto com a roda traseira, como nas bikes de pista, e garante considerável velocidade. Nessas provas, vence a pessoa que passar por todos os pontos mais rápido. Em respeito aos protocolos sanitários, a prova será realizada individualmente e com apoio de aplicativos de celulares. As inscrições foram organizadas pelo BH Fixed a atividade principal será realizada neste domingo, a partir das 9h, por ruas da região Centro-Sul da capital.

 

ELIATRICE GISCHEWSKI | GLAYDSON OLIVEIRA | SAMUEL SAMWAYS - LABIRINTO

Circuito pelo Centro de BH | Sai da Praça Raul Soares às 14h

Na cena proposta para a Virada Cultural de Belo Horizonte 2021, os bailarinos Eliatrice Gischewski, Glaydson Oliveira e Samuel Samways flutuam sobre monociclos elétricos nas ruas de Belo Horizonte, enquanto exploram seus atalhos e espaços “secretos”, desvendando o labirinto urbano. Ao transformar o veículo em uma extensão do corpo, os artistas subvertem a função de mobilidade urbana do objeto para uma ferramenta de expressão artística, constroem discursos e desenvolvem uma linguagem própria, que somente é possível pela união da dança com o menor meio de transporte do mundo. “Labirinto” discute a mobilidade urbana e as possibilidades de movimentação do corpo por meio da estética da dança contemporânea unida à tecnologia.

 

MARI FLO CANUTO - TRAVESTY SOB MURO

Centro de Referência das Juventudes | Rua Guaicurus, 50 - Centro | 17/10 - 10h

A execução do projeto “Travesty sob Muro” é uma narração de histórias que perpassam ou perpassaram o Morro das Pedras, em Belo Horizonte (MG), por meio de um mural (grafite) produzido no território, com o objetivo de retomar símbolos e signos locais que fizeram e ainda fazem diferença nesse espaço. A artista ressalta que mulheres travestis e transexuais não costumam protagonizar a narração de histórias e vivências locais, pois frequentemente são barradas de seus vínculos afetivos, de seu território, e de seus familiares. Neste projeto, Mari Flo Canuto propõe esse reencontro social e cultural.

 

SMED - SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PALAVRA ABRAÇO

Estações do Metrô | 24h

“O que é um abraço para você?” A Secretaria Municipal de Educação ouviu estudantes da Educação Infantil e do Ensino Fundamental e traz as respostas para a Virada Cultural de Belo Horizonte 2021, com a simplicidade e a sinceridade das crianças em relação ao amor profundo diante de quem está ao seu lado. E por que não “contagiar” tantas outras pessoas para que também se sintam abraçadas com a ação “Palavra Abraço”? Os áudios com as respostas serão veiculados em todas as estações de metrô da cidade durante a realização do evento.

 

SLU – SUPERINTENDÊNCIA DE LIMPEZA URBANA - EXPOSIÇÃO HISTÓRIA DAS EMBALAGENS ATRAVÉS DO TEMPO

Sesi Museu de Artes e Ofícios | Praça Rui Barbosa, 600 - Centro | 16/10 e 17/10, conforme funcionamento do museu

Para sensibilizar o público sobre consumo excessivo, desperdício e o aumento dos resíduos gerados para a cidade, a Gerência de Educação Ambiental da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) organizou a exposição itinerante “A História das Embalagens”. A atração chegará ao Museu de Artes e Ofícios durante a Virada Cultural de Belo Horizonte 2021 e continuará aberta ao público por mais tempo.

chancela_completa_site_DESKTOp.png