16/10 – 19h06 

CABETO - CABEATLES

“Cabeatles” é um projeto do músico e compositor Carlos Alberto Carli, o Cabeto, no qual toca versões do quarteto de Liverpool e composições próprias e de parceiros. Em sua carreira, Cabeto lançou três CDs autorais independentes e dois com versões de canções do rock n’roll. Seu show é parte de alguns encontros de fãs dos Beatles no estado de Minas Gerais.

  

16/10 – 19h48 

LORENA AMARAL - TRIBUTO ÀS DIVAS DO ROCK

Rock n’Roll feito por mulheres. Em seu “Tributo às Divas do Rock”, a cantora Lorena Amaral homenageia grandes artistas que ajudaram a construir a história do gênero, como forma de continuar o legado de Rosetta Tharpe – a mãe do rock. De Elis Regina a Janis Joplin, o projeto enaltece grandes mulheres que, com autenticidade e coragem, deixaram sua marca na história. Em seu show, a artista toca Janis Joplin, Elis Regina, Rita Lee, Amy Winehouse, Cássia Eller, Cyndi Lauper, Alanis Morissette, Tina Turner, Marisa Monte, Alice Russel, Baby do Brasil e muitas outras.

 

16/10 – 20h53 

AKNUS - AKNUS AO VIVO NA VIRADA CULTURAL

Aknus é uma banda mineira, de Belo Horizonte, que toca rock/metal alternativo desde 2017. Em 2019, a banda gravou seu primeiro EP e, em 2020, lançou o single “Rattus Rattus” e produziu um web clipe durante o período de isolamento social. O show apresentado na Virada Cultural será a sinopse de um trabalho que foi solidificado dentro de dois anos de pandemia, uma nova fase que se apresenta dentro das grades virtuais da realidade que estamos enfrentando. Tudo isso para provar que, apesar de tudo, “o caos é um rio, a poesia é um barco”, afirma a banda. 

 

16/10 – 21h42  

BANDA BLACK MACHINE - BLACK NA LAJE

A banda Black Machine, formada em 2008 por veteranos da cena da música preta belo-horizontina, se apresentará com dois artistas convidados de seu projeto sociocultural “Black na Laje”, com o objetivo de promover e difundir a mistura e o intercâmbio de estilos musicais influenciados pela cultura da black music e sua importância como arte inclusiva. A cada edição do “Black na Laje”, a banda seleciona dez artistas da comunidade para participar da construção de uma música autoral, misturando ritmos e estilos, gerando um fonograma e um videoclipe como forma de potencializar a divulgação de seu trabalho musical. Até o momento, a banda já produziu vinte artistas que hoje fazem parte da cena cultural do país.

 

16/10 – 22h52 

DANÇA SOUL E LOCKING - BLACK-A CONVIDA VELHA GUARDA DO SOUL E LOCKERS

Ao som da black music, o dançarino mineiro Black-A convida a Velha Guarda do Soul e dançarinos de locking para uma eletrizante performance na edição 2021 da Virada Cultural de Belo Horizonte. Luiz Fernando Black-A é diretor e coreógrafo da Cia Liberdade, pioneira e especialista nas modalidades do funk soul, locking e popping, oriundos da black music difundida pelo artista James Brown. Ao longo de 30 anos de trajetória, soma mais de 30 títulos em competições de danças urbanas nacionais e internacionais.

 

17/10 - 23h49  

CENTRO CULTURAL - PADRE EUSTÁQUIO

“Esse é o Centro Cultural Padre Eustáquio. Qual o seu Centro Cultural?” Com essa chamada, o vídeo apresenta o Centro Cultural Padre Eustáquio (CCPE). Ele possui uma localização de fácil acesso, com pátio amplo, coberto, e com palco para apresentações artísticas. Construído na antiga Feira Coberta, o espaço fica ao lado de um corredor viário da região. O CCPE é equipado, ainda, com biblioteca, salas para oficinas de artes plásticas e cênicas. Belo Horizonte conta com 17 centros culturais municipais nas nove regionais, com todas as atividades gratuitas.

17/10 – 23h51  

DIPLOMATTAS - DIPLOMATTAS - UMA VIAGEM PELA MÚSICA PRETA

O grupo Diplomattas convida o público para uma imersão no repertório festivo, vibrante e dançante da apresentação “Diplomattas – uma viagem pela música preta”. A performance revisita canções icônicas da música negra brasileira e internacional, revela composições autorais do grupo e retoma faixas da trilha sonora criada por eles para o longa-metragem dirigido por um de seus integrantes, “No Coração do Mundo”, de 2019.

 

17/10 – 0h48  

BANDA UNIÓN LATINA - ESTAMOS AQUI!

A banda Unión Latina traz um show em que a mistura cultural e a diversidade musical marcam presença. Seus músicos, bailarinos e atores de diferentes países – Brasil, Cuba, Uruguai e Colômbia – propõem a criação de um formato artístico representativo da integração cultural latino-americana. Rumba, cumbia, salsa, cha cha cha, bolero, samba e baião garantem a energia do show “Estamos aqui!”.

 

17/10 – 1h39 

MAGIA NEGRA (BLOCO AFRO) - DESFAZENDO FEITIÇOS RACISTAS

O bloco afro Magia Negra foi criado em 2013 pelo multiartista, educador e ritual designer Camilo Gan, com o objetivo de reunir um coletivo de pessoas comprometidas no combate ao preconceito étnico-racial relacionado ao povo de pele preta. O bloco busca, então, desfazer feitiços racistas ao reverenciar, exaltar e divulgar os valores da cultura afro-brasileira por meio da música, dança, carnaval e ações educativas “Afrobetizadoras”. As principais influências musicais da banda são os ritmos afro-mineiros, os toques ancestrais do candomblé, o samba, o afrobeat, o reggae, o blues, o jazz, o death metal, o new metal, o funk soul, o funk tamborzão e o hip-hop.

17/10 – 2h21  

MULHERES COM CINEMA: RETROSPECTIVA MALVA - ANA TERRA

O curta-metragem “Ana Terra” é uma direção coletiva de Alagoas e, em seus 20 minutos de duração, mostra a irregularidade dos mais diversos caminhos, as indefinições do futuro e as possibilidades criadas por um labirinto de cores e imagens. A exibição do filme integra a mostra “Mulheres com Cinema: Retrospectiva Malva”, que apresenta uma programação gratuita de filmes nacionais contemporâneos que se destacaram nas últimas edições da “Mostra de Cinema Feminista”, realizada pela Coletiva Malva.

 

17/10 – 2h42 

MULHERES COM CINEMA: RETROSPECTIVA MALVA - ADELAIDE, AQUI NÃO HÁ SEGUNDA VEZ PARA O ERRO

Desvendar Adelaide Carraro, sua história, segredos e polêmicas é o que movimenta a trama de “Adelaide, aqui não há segunda vez para o erro”. A exibição do filme integra a mostra “Mulheres com Cinema: Retrospectiva Malva”, que apresenta uma programação gratuita de filmes nacionais contemporâneos que se destacaram nas últimas edições da “Mostra de Cinema Feminista”, realizada pela Coletiva Malva. 

 

17/10 – 3h02 

MULHERES COM CINEMA: RETROSPECTIVA MALVA - INÊS

Inês, uma atriz de 69 anos, cria uma narrativa de fragmentos de sua vida, transformando memórias da juventude durante a Ditadura Militar em performances, nas quais transmite suas percepções sobre as relações entre arte e política presentes em sua história. A exibição do filme integra a mostra “Mulheres com Cinema: Retrospectiva Malva”, que apresenta uma programação gratuita de filmes nacionais contemporâneos que se destacaram nas últimas edições da “Mostra de Cinema Feminista”, realizada pela Coletiva Malva.  

17/10 – 3h24  

 

MULHERES COM CINEMA: RETROSPECTIVA MALVA - ARI E EU

Uma aspirante a cineasta decide estudar documentário em Cuba, sem saber falar espanhol. Durante o curso, encontra Ari, uma garota de nove anos que a ensina novas palavras. Juntas, elas descobrem uma ligação para além da linguagem. A exibição do filme integra a mostra “Mulheres com Cinema: Retrospectiva Malva”, que apresenta uma programação gratuita de filmes nacionais contemporâneos que se destacaram nas últimas edições da “Mostra de Cinema Feminista”, realizada pela Coletiva Malva.

 

17/10 - 3h35

MULHERES COM CINEMA: RETROSPECTIVA MALVA - ÂNGELA

Ângela vive sozinha e coleciona diagnósticos de doenças que nunca teve. Sua ficção segue imperturbável até a chegada de Sueli e o vislumbre de uma nova existência. A exibição do filme integra a mostra “Mulheres com Cinema: Retrospectiva Malva”, que apresenta uma programação gratuita de filmes nacionais contemporâneos que se destacaram nas últimas edições da “Mostra de Cinema Feminista”, realizada pela Coletiva Malva. 

17/10 – 3h49

MULHERES COM CINEMA: RETROSPECTIVA MALVA - PERIFERICU

Luz e Denise cresceram em meio às adversidades por pertencerem à comunidade LGBTQIA+ no extremo sul da cidade de São Paulo. Entre o vogue e as poesias, do louvor ao acesso à cidade, os sonhos e incertezas da juventude inundam suas existências.

          

17/10 – 4h08

MULHERES COM CINEMA: RETROSPECTIVA MALVA - ENRAIZADAS

A partir de entrevistas e recriações de imagens de arquivo, “Enraizadas” investiga a tecedura dos cabelos em tranças nagôs como um processo não restrito à beleza estética, mas também de renovação dos afetos, de resistência e reafirmação da própria identidade e tradição. Um filme que ultrapassa e ressignifica o visual das tranças para exaltar a poética, a história, a africanidade, os conhecimentos matemáticos e as possibilidades de invenção a partir do cabelo. A exibição do filme integra a mostra “Mulheres com Cinema: Retrospectiva Malva”, que apresenta uma programação gratuita de filmes nacionais contemporâneos que se destacaram nas últimas edições da “Mostra de Cinema Feminista”, realizada pela Coletiva Malva. 


17/10 – 4h20

MULHERES COM CINEMA: RETROSPECTIVA MALVA - BAILE

Andréa, de apenas dez anos, é uma menina negra que vive na periferia de Florianópolis com sua mãe e sua avó. A personagem protagoniza a história que narra um dia marcante em sua vida. A exibição do filme integra a mostra “Mulheres com Cinema: Retrospectiva Malva”, que apresenta uma programação gratuita de filmes nacionais contemporâneos que se destacaram nas últimas edições da “Mostra de Cinema Feminista”, realizada pela Coletiva Malva.

17/10 – 4h38 

VERBO GENTILEZA - ABAPORU

Inspirada na tela “Abaporu”, de Tarsila do Amaral, a bailarina Bianca Victal apresenta a performance de mesmo nome, como parte do projeto “Além da Tela”. Com direção artística e coreografia de Victor Ciattei, a atração integra a programação da 6ª edição do Festival Verbo Gentileza, que busca reunir pessoas e iniciativas para uma transformação positiva da sociedade. 


17/10 – 4h42

VERBO GENTILEZA - CASA SÃ

Com interpretação e criação de Oz Ferreira, Paloma Xavier e Rodrigo Zaiden, a performance “Casa Sã” vem para a Virada Cultural de Belo Horizonte 2021 como parte da programação da 6ª edição do Festival Verbo Gentileza, que busca reunir pessoas e iniciativas para uma transformação positiva da sociedade. 

17/10 - 4h47

VERBO GENTILEZA - A CARNE

Dayanne Amaral traz para a Virada Cultural sua performance “A Carne”, como manifesto contra os inúmeros casos de  racismo testemunhados diariamente. A atração é parte da programação da 6ª edição do Festival Verbo Gentileza, que busca reunir pessoas e iniciativas para uma transformação positiva da sociedade. 

17/10 – 4h51 

ANDERSON LOBO - ALCATEIA CÓSMICA

O cantor e compositor belo-horizontino Anderson Lobo apresenta o show “Alcateia Cósmica”, com suas canções que têm sonoridades que vão da MPB ao folk, do blues ao baião, sem nunca deixar de lado suas raízes mineiras. O artista se define, antes de mais nada, como um poeta. Assíduo ouvinte de estilos musicais diversos, ele cria, em seu trabalho autoral, um diálogo entre as múltiplas tendências sonoras e poéticas que o influenciam. Suas composições têm forte influência das ideias do astrônomo Carl Sagan e das obras de poetas como Carlos Drummond de Andrade e compositores como Arnaldo Antunes e André Abujamra.


17/10 – 5h51

VERBO GENTILEZA - ALESTRA “GENTILEZA RADICAL, DO EU PARA O NÓS”, COM GURU SANGAT

​​A médica especialista em epidemiologia e lead trainer da Kundalini, Lisette Lobato Mendonça, aborda o movimento do “eu para o nós”, trazendo para a reflexão o papel da consciência de grupo para que cada um assuma uma gentileza radical perante o mundo. Lisette, ou Guru Sangat Kaur, é também especialista em Kundalini Yoga e neuro-imunologia. A atração integra a programação da 6ª edição do Festival Verbo Gentileza, que busca reunir pessoas e iniciativas para uma transformação positiva da sociedade. 

17/10 – 6h31

VERBO GENTILEZA - MESA DE CONVERSA - MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS NAS CIDADES

 

A mesa de conversa “Manifestações artísticas nas cidades” busca entender o espaço público e como é possível interagir com a sociedade – e toda a sua complexidade – a partir da arte pública. Participam da conversa Mauro Neri, Marcella Arruda e Marjorie Yamaguti. A mediação é de Eveline Trevisan. A atração integra a programação da 6ª edição do Festival Verbo Gentileza, que busca reunir pessoas e iniciativas para uma transformação positiva da sociedade.

 

17/10 – 7h38

IAIÁ DRUMOND - Γαία

O show “Γαία” (leia-se: Iaiá) apresenta as canções do recente álbum da artista Iaiá Drumond. Com o mito da criação do mundo, por meio do arquétipo da Yebá Bëlo (etnia dessana), a cantora abre seu show. As canções seguem desenhando o desdobramento da construção de nossa sociedade, passam pelos povos originários, pela mulher que gera, pela chegada dos negros, pelo caos da cidade e pela tentativa de conexão do homem atual com o seu sagrado. É um show para se divertir, mas também para refletir acerca do homem e de seu tempo.

 

17/10 - 8h29

CENTRO CULTURAL - PAMPULHA

“Esse é o Centro Cultural Pampulha. Qual o seu Centro Cultural?” Com essa chamada, o vídeo apresenta o Centro Cultural Pampulha, que procura formar e capacitar os moradores da região, despertando a noção de cidadania por meio de programas que permitem a reflexão e a memória dos cidadãos. Com aproximadamente 370 m², o espaço cultural abriga biblioteca, sala de projeção, oficinas e administração, auditório, cozinha, jardins interno e externo e ampla área para apresentações artísticas e outras atividades. Belo Horizonte conta com 17 centros culturais municipais nas nove regionais, com todas as atividades gratuitas.


17/10 – 8h32

CHICO LOBO - CHICO LOBO E A VIOLA PATRIMÔNIO DE MINAS

O show “Chico Lobo e a Viola Patrimônio de Minas” faz uma ponte entre a contemporaneidade e a tradição das folias, catiras, batuques e modas inspiradas nos mestres dos grotões e causos do cotidiano caipira. O músico transporta o público ao ambiente de festa e celebração ao trazer a exuberância de sua viola, que é de mutirão, de cantoria, de conexão das raízes étnicas com a atualidade.

 

17/10 – 9h23

FUNDAÇÃO CLÓVIS SALGADO - A FLAUTA MÁGICA (RAINHA DA NOITE)

A Flauta Mágica (Rainha da Noite), composição mais famosa de Mozart, traz para a Virada Cultural de Belo Horizonte 2021 a interpretação da soprano Daiana Melo, integrante do Coral Lírico de Minas Gerais, com acompanhamento dos músicos da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, regidos pelo maestro Silvio Viegas. A ópera retrata a filosofia do Iluminismo e dos conceitos da Revolução Francesa – Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

17/10 – 9h27

FUNDAÇÃO CLÓVIS SALGADO - VAI PASSAR

O compositor e pianista Francis Hime, com regência do maestro Roberto Tibiriçá e participação do Coral Lírico de Minas Gerais e da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, interpretou a antológica parceria do compositor com Chico Buarque em “Vai passar”, escrita em 1984. No vídeo, Francis Hime relembra a história brasileira no início da década de 1980 e ressalta a atualidade da música.

 

17/10 - 10h42

CENTRO DE ATIVIDADES MUSICAIS DA POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS - BANDA DE MÚSICA DA PMMG

O Centro de Atividades Musicais da Polícia Militar de Minas Gerais traz para a Virada Cultural de Belo Horizonte 2021 a apresentação da Banda de Música da PMMG, atualmente sob a regência dos 1ºTen PM Músico Reinaldo Tavares, 1º Ten PM Músico José Geraldo dos Santos e 2º Ten PM Músico Eleônio Ribeiro da Cruz. 

17/10 – 10h39 

ROGÉRIO DELAYON - ROGÉRIO DELAYON - AUTORAL

O multi-instrumentista Rogério Delayon completa trinta e dois anos de carreira e é considerado um dos mais bem-sucedidos sideman do Brasil. Ele agora se propõe a lançar-se à frente do palco como intérprete, apresentando suas composições e criações em um show autoral, que mescla música instrumental e interpretações de compositores mineiros. O artista nos presenteará com a versatilidade musical que lhe é própria, indo do rock ao baião, afinado com o estilo original e a grande qualidade natural de seus trabalhos, recheados de mineiridade.

17/10 – 11h41 

CENTRO CULTURAL - SALGADO FILHO

“Esse é o Centro Cultural Salgado Filho. Qual o seu Centro Cultural?” Com essa chamada, o vídeo apresenta o Centro Cultural Salgado Filho (CCSF), espaço público que nasceu a partir da luta dos moradores da região e mantém infraestrutura propícia ao desenvolvimento e compartilhamento das artes e da cultura local. O CCSF é o único equipamento artístico-cultural da Prefeitura de Belo Horizonte na região. O espaço possui, no primeiro piso, auditório multiuso com capacidade para 100 pessoas, biblioteca, sala de oficina e duas áreas expositivas, além de ser acessível e contar com sanitários adaptados a cadeirantes. No subsolo, conta com Telecentro, auditório audiovisual, com capacidade para 35 pessoas, e sala para ensaios de teatro e dança. Belo Horizonte possui 17 centros culturais municipais nas nove regionais, com todas as atividades gratuitas.

17/10 – 11h44

REGINA SOUZA - CHEGAÍ

A cantora Regina Souza apresenta o show de seu mais recente álbum, o “Chegaí”, com canções inéditas de sua autoria. Este é seu quarto lançamento solo, em ritmos como samba, baião, ijexá, reggae e balada. Regina estará acompanhada de Du Macedo no violão, guitarra e cavaquinho, Cláudio Queiroz na bateria e percussão, e Fred Jamaica no baixo. A artista atua na cena artística mineira desde 1991 e, além do novo álbum, apresentará na Virada Cultural canções de seus discos anteriores com músicas de Vander Lee e Sérgio Pererê.

 

17/10 – 12h41

GRUPO BOCA FRÔXA - SAMBAS CANTADOS EM ARRANJOS VOCAIS

O grupo Boca Frôxa tem um trabalho baseado em releituras para vozes de grandes sambas, tais como na grande tradição na música popular brasileira, como os memoráveis e ainda atuantes MPB-4 e Demônios da Garoa. Seu repertório de qualidade conta com arranjos próprios e inovadores, com direção e arranjos de Marcinho Sant’Ana, e releitura dos grandes sambas do cancioneiro popular brasileiro, com ênfase no trabalho vocal. Compõe o repertório do grupo composições de Cartola, Noel Rosa, Chico Buarque, Paulinho da Viola, Zé Kéti, Nelson Cavaquinho, Elton Medeiros e tantos outros bambas. O conceito principal é resgatar o prazer de cantar, incentivando o público a participar, trazendo de volta a roda de samba, ou o samba de roda.   


17/10 – 13h14 

DUDU DO CAVACO E BANDA - NÃO IMPORTA A PERGUNTA, A RESPOSTA É O AMOR

“Não importa a pergunta, a resposta é o amor”. Esse é o show protagonizado pelo artista Dudu do Cavaco, que nasceu com síndrome de down e, desde cedo, aprendeu a tocar pandeiro, tendo se apaixonado pelo cavaquinho aos 12 anos. Sua banda é composta de outros quatro artistas: Daniel Viana, Dênis Silva, Henrique Costa e Tiago Buiu. Dudu do Cavaco Convida é uma banda inclusiva, que traz um repertório com muita MPB, amor e samba. Um show de inclusão e possibilidades.

  

17/10 – 14h10

BRUNO CUPERTINO - CANTO FORTE

O sambista Bruno Cupertino traz a esta edição da Virada Cultural a celebração de seus 15 anos de caminhada: seu primeiro álbum. Recém-lançado e disponível em todas as plataformas digitais, “Canto Forte” é o produto da vivência nas rodas de samba e palcos do Brasil, Argentina e Alemanha. Aliado consciente da poesia dos antigos bambas, o compositor, por meio da música, trata da história do samba ao longo dos anos. Além do samba, principal área de atuação, o compositor transita pelo choro, música instrumental, bossa nova, rap, forró e o jongo.

 

17/10 – 14h51

ALINE CALDEIRA - SAMBA NO PÉ COM ALINE CALDEIRA

Na oficina “Samba no Pé”, a rainha de bateria Aline Caldeira ensinará as noções do samba no pé, envolvendo conceitos básicos e históricos sobre o samba na cidade de Belo Horizonte (MG). Seu intuito é mostrar diferentes maneiras de sambar, destacando o protagonismo feminino e a forma clara com a qual uma coreografia/sequência de passos de samba se desenvolve, quais são os caminhos da evolução do samba, bem como a aplicação da técnica num projeto artístico. A oficina também contemplará um número de samba no pé.

 

17/10 – 15h20

GRUPO AXTRAL - BAILE DO AXTRAL

A partir de uma proposta com muito samba e pagode, o Grupo Axtral convida o público para um show animado, com repertório variado, que também passeia por diversos outros estilos, como rock, pop e funk.

 

17/10 – 16h03

RICK SILVA - SOM DO MORRO

Em seu show “Som do Morro”, o artista Rick Silva apresenta músicas de origem afrodescendente por meio de um repertório diversificado de pagode, funk e rap. Rick é versátil: canta e toca violão, cavaco e percussão. Dedica-se, também, a projetos de produção musical e audiovisual.

  

17/10 – 17h06

SUELEN ARAÚJO E BANDA

O show “Suelen Araújo e Banda” apresenta ao público o variado repertório da música sertaneja. A cantora celebra diversos momentos desse gênero musical, desde o estilo raiz até o sertanejo universitário contemporâneo. Ela sobe ao palco levando sua versatilidade e canções, que marcam a história da música brasileira com a energia do sertanejo. 

chancela_completa_site_DESKTOp.png