• Instituto Periférico

Eixo Terra: Miradas completa mais um ciclo transformador




Dono de um traço minucioso, o experiente desenhista Aílton Ferreira participou da finalização de uma grande mandala nas paredes da Amanu, organização sem fins lucrativos que apoia a cadeia produtiva agroecológica de famílias da região de Jaboticatubas. Milenar como o cultivo da terra, o símbolo descreve o ciclo virtuoso da agricultura familiar e resume a experiência do eixo Terra do Miradas de Afeto, que também esteve em Simonésia e Ribeirão das Neves: transformadora.


Transformar vidas é o objetivo comum das três localidades visitadas pelo Miradas de Afeto entre 5 de março e 8 de maio (o projeto foi paralisado em abril por causa da Covid-19). Para sobreviver com dignidade e consciência de que suas ações estão construindo um mundo melhor, essas coletividades se apropriaram da terra de modo a fazê-la cumprir sua função social, através da produção de alimentos agroecológicos, da estruturação de cadeias produtivas sustentáveis e da garantia do bem-estar coletivo.


Os projetos também contam com o apoio de uma rede de solidariedade que reúne organizações não governamentais, coletivos, movimentos ambientalistas e sociais. Uma inteligência coletiva que educa, constrói e modifica a realidade. “Ficamos encantados com a mobilização e o envolvimento comunitário nas decisões e nos ciclos de produção dos alimentos, e com o suporte que eles recebem nos momentos difíceis”, contou a artista plástica e coordenadora do Miradas, Anna Göbel.


Em Simonésia, Anna pintou a sede do CSA Gaia, uma comunidade que financia a produção e o consumo de produtos agroecológicos por meio de um sistema de cotas, o que assegura o funcionamento contínuo de todas as etapas envolvidas na cadeia produtiva dos alimentos. Na zona rural do município, a comunidade administra a Escola Família Agrícola Margarida Alves. Pintada por Anna, a escola pública é destinada exclusivamente à formação dos filhos de agricultores e por isso seu funcionamento é adaptado à realidade do trabalho no campo.


Já em Ribeirão das Neves, as 300 famílias da Ocupação Tomás Balduíno encaram dois duros desafios: a regularização das moradias e transformação da comunidade em bairro - o que garantirá aos moradores a infraestrutura mínima de saneamento básico, iluminação pública e urbanização – e a estruturação de meios de subsistência, enquanto a plena cidadania não chega. As famílias criaram hortas coletivas para se alimentar, sistemas de coleta seletiva e saneamento ecológico.


Na ocupação, a comunidade tem também o apoio do projeto Agroecologia na Periferia e da Rede de Intercâmbio de Tecnologias Alternativas (Rede), parceira que identificou e ajudou a construir a agenda cumprida pelo Miradas nesta etapa. Na ativa desde 1986, a Rede contribui para a melhoria da qualidade de vida de comunidades do campo e da cidade, por meio do fortalecimento da agroecologia e da agricultura urbana. A organização atua em todo o ciclo de produção agrícola voltado para famílias e grupos comunitários, no desenvolvimento de hortas comunitárias e quintais produtivos em espaços urbanos, na gestão de resíduos e na segurança alimentar.


Em Jaboticatubas, a Amanu criou e presta suporte ao Armazém Raízes do Campo, uma rede que articula a produção de agricultores familiares com grupos de compra espalhados por diversas cidades da Grande BH. Para que todos possam se beneficiar de forma igualitária, o projeto definiu uma renda mínima para aqueles que, eventualmente, arrecadem menos no processo de venda.


No eixo Terra, mais uma vez, o Miradas procurou contribuir com sua tecnologia social: a arte coletiva. As experiências de comunidades organizadas, a música e os costumes de gente simples e batalhadora, a opinião e o talento de voluntários e artistas, o palpite de transeuntes, o calor da solidariedade, as cores e os aromas da natureza, tornaram-se adubo, semente e cultivo. Pelas mãos de Anna, o trabalho coletivo nasceu e floresceu em paredes, muros, pilastras, fachadas. É como o uso da terra, cujo ciclo transforma a um tempo a natureza e todos os que usufruem de sua generosidade.

6 visualizações